Estância Mimosa: eco tur!!

Último dia em Bonito e mais uma indecisão. Já tínhamos feito tudo que queríamos, desde flutuações, mergulhos e rapel. Mas agora, para este último passeio, estávamos bem indecisos em mais uma flutuação (o aquário natural) ou algo diferente, como uma cachoeira. Como o clima estava bem friozinho, e sabíamos que ficar muito tempo dentro da água ia ser mais difícil, optamos por fazer as cachoeiras da Estância Mimosa, pois além de ser um passeio mais light, a gente ainda não tinha feito nada parecido até agora. A primeira ideia era fazer a famosa cachoeira Boca da Onça, mas nesta época do ano, tem pouca água por causa da seca e a distância e o valor não valiam a pena arriscar. Queríamos algo mais perto, mais aconchegante e bem sossegado para também aproveitar e descansar um pouco.

A nossa opção foi a Estância Mimosa. Uma fazenda de 400 hectares que explora, além da criação de gado, as belezas naturais das dezenas de cachoeiras, saltos e corredeiras espalhadas pelo complexo. O roteiro inicia-se na casa-sede da fazenda, onde é feita o primeiro contato local. Assim que chegamos, fomos recepcionados com um belo lanche matinal, recheados de biscoitos, bolos e pães caseiros, cafés e chás bem regionais. Este estilo de recepção colonial é uma delícia. Anima qualquer um. O local também é uma gracinha, a antiga sede da fazenda manteve o ambiente estilo familiar, e é bem percebido ao observar cada detalhe da decoração simplista e agrofashion. Depois de bem alimentados e pesando no mínimo 1 kg a mais cada um, iniciamos uma agradável caminhada pela mata ciliar do Rio Mimoso.

bon_69

bon_70

bon_71

A trilha é relativamente longa, mas não cansativa. O lugar está repleto de orquídeas, bromélias e se você der sorte poderá ver vários animais silvestres. Além de uma vaca que estava perdida bem no meio do caminho, avistamos alguns macacos nas árvores. Ao longo da trilha, passamos por vários mirantes que nos proporcionaram belas visões panorâmicas da serra da Bodoquena. Sem falar nas cachoeiras que ao todo são 8 e que oferecem belos locais de banho com piscinas naturais de águas transparentes com tonalidades de cor de esmeralda. Em muitas dessas cachoeiras, tem várias grutas sob suas quedas d’agua. Há também plataforma de salto, passarelas suspensas e trecho percorrido em barco a remo. Este passeio é sempre acompanhado por um guia especializado. A água porém não é muito quente, em torno dos 18°C… :mrgreen:

bon_72

bon_75

bon_74

bon_73

De volta pra fazenda, é hora do almoço típico. Pratos típicos servidos no fogão à lenha, verduras bem fresquinhas e doces regionais de fazer qualquer pobre mortal engordar alguns quilos à mais (nas minhas contas já foram 2). O difícil é resistir apenas à uma porção… eu mesma repeti umas 2 vezes. Mas pudera, cada guloseima!!
Depois de bem servidos, uma cafezinho pra arrematar e uma rede pra fazer a digestão. Um dia tranquilamente delicioso, a sensação de bem estar na roça mais uma vez faz com que a gente queira voltar mais e mais vezes pra Bonito…

bon_76
Fogão à lenha para dar mais sabor à comidas típicas… panelas de ferro.

bon_77
Cocho onde era servido a salada, detalhe para a bica d’agua que passa por baixo, e que deixa sempre bem fresquinho… 😉

bon_80
Redário pra famosa descansadinha depois do almoço.

bon_78

bon_79

bon_81
2 jacarés adotaram o lago da fazenda como lar… espertos, eu também gostaria de “adotar” a fazenda Mimosa.

Criadora e editora do blog, adora colocar os pés na estrada! Está sempre planejando uma nova viagem. Sua Bucket List é enorme (e azul), dificilmente irá conhecer todos os destinos que deseja, mas continua esperançosa!

10 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.