Londres: Dicas e Informações Úteis

Posted by & filed under EUROPA, INGLATERRA, Londres.

Londres - Dicas e Informações Uteis

De acordo com o dicionário Calorês Wieserniano, sou sua correspondente oficial das Oropa! Por isso estou aqui novamente, dessa vez o destino é Londres! 🙂

Adoro viajar e o velho mundo sempre me fascinou. Não sou expert em história (estou bem longe disso), mas andar por ruas que existem há séculos, ver prédios que foram construídos há milênios e ver pessoas com hábitos tão diferentes dos nossos, me agrada bastante. Um belo exemplo disso é Roma. Estive lá duas vezes e em ambas senti arrepios ao andar pelo Fórum Romano, Vaticano e Coliseu. Amo aquela cidade, que mistura todas as coisas do velho mundo com um pouquinho da bagunça brasileira.

Por eu gostar tanto da Europa, por já ter ido pra lá com parentes e também sozinha, faltava ir com amigos e com o noivitcho! Então resolvi unir o útil ao agradável: amigas + namorado + Europa = Experiência memorável para sempre. E acho que todos devem fazer isso na vida: viajar sozinho, com amigos e com o nosso amor 🙂

Foram 3 semanas em julho desse ano (2011) num estilo quase “mochilão”. O roteiro foi: Lisboa, Londres, Cote D’Azur (Nice, Cannes e Mônaco), Le Cinque Terre, Costa Amalfitana e uma passada rápida em Roma. Os destinos foram super diferentes, pra todo gosto: glamour, lugar pitoresco, história, metrópole, cultura e muita praia. E posso dizer que gostei de todos os lugares. O sul da França e Roma eu já conhecia, mas sempre é bom retornar aos bons lugares, né?!

Vou começar falando de Londres, dicas e informações úteis sobre nossa estada em uma das cidades que mais recebe turistas no mundo!

London, Baby!

Quando fizemos nosso roteiro, minhas amigas tinham uma exigência: precisamos de Londres. Pois é, parece super comum ver pessoas assim: apaixonadas por Londres – até mesmo pessoas que nem mesmo estiveram lá. E eu, claro, estava muito curiosa para entender os porquês de tanto amor.
Vinicius de Moraes, que lá morou, descrevia Londres como “uma bela e grande ilha, ao mesmo tempo apaixonada e discreta, cordial e austera, pátria de poetas como não se viu maiores….” À Londres ele declarou seu amor… e também aos doces telhados do bairro Chelsea… “Já fostes minha casa”, disse ele em certa ocasião…

Londres é bem grande, uns 7 milhões de habitantes e, se contar toda região metropolitana, chega perto dos 12 milhões. Além disso, é uma mistura de povos que eu nunca tinha visto antes. Senti quase que uma frustração por não ver os típicos londrinos, sabe? E o que mais me impressionou foi a quantidade de muçulmanos andando pelas ruas londrinas. Parecia que tinha mais deles do que de nós. E por nós, quero dizer: cultura totalmente diferente da nossa – afinal eles são típicos, né!? As mulheres todas cobertas com lenços e burcas e os homens caminhando logo a frente. Alguém tem uma dica do porquê de tantos deles lá? Aliás, toda essa mistura de povos me fez pensar que Londres se une a São Paulo e New York neste quesito: diversidade cultural imensurável, todo tipo de gente, classes sociais e intelectuais. Talvez seja por isso que Londres não tenha nada de comida típica além do Fish and Chips… (rs)

A cidade também é vanguarda em quase tudo e tem uma arquitetura estonteante: para onde você olha tem um prédio que parece ser alguma coisa importante, afinal, prédios tão lindos não podem ser “nada” , né? Mas lá, eles muitas vezes são, pois tudo é bonito, antigo e emana historia. Difícil descrever Londres, viu?!

Nossa jornada durou 5 dias (intensos). A cidade tem muita coisa para ser vista e quando você lê os guias e blogs até se assusta. São tantos lugares para conhecer que parece que não vai dar tempo e, realmente, não dá (risos). Acho que a melhor coisa é fazer uma lista de prioridades, sem especificar datas. Então você vai curtindo e fazendo o que der tempo. Uma boa notícia: o transporte de Londres ajuda. Ele é fantástico, há grande facilidade de se locomover e você consegue fazer bastante coisa em um dia.

Vamos às dicas?!

Imigração/Visto

As pessoas costumam ter um pouco de receio em relação à Londres quando se fala nisso. Mas acho que não é assim assustador, salvo para quem realmente quer burlar as regras e ficar lá ilegalmente. Eu e meu noivo não passamos pela imigração, pois somos cidadãos europeus, mas minhas amigas sim e elas não tiveram o menor problema. Acho que nem perguntaram nada, a não ser o básico. E o básico é indispensável se você não quer ser barrado no aeroporto e ter de voltar para o Brasil na hora, com ou sem choro:

  • passagem de ida e volta para o Brasil;
  • hospedagem reservada durante toda a sua estada em Londres;
  • din din no bolso (acho que o mínimo é 50 libras por dia);
  • seguro saúde;
  • vestir-se de forma coerente (li relatos de que eles reparam nisso – vai saber … rs)

Moeda

Em Londres a moeda oficial não é o Euro e sim a Libra Esterlina. A libra tem cotação maior que o euro em relação ao real e, também por isso, tudo acaba ficando mais caro. O que em outra cidade da Europa seria 2 euros, lá invariavelmente será 2 libras, ou mais…
O ideal é já levar libras do Brasil ou sacar em caixa multibanco. Nesses caixas você usa seu cartão de débito (precisa ser previamente liberado em seu banco para uso no exterior), o dinheiro é automaticamente convertido e vem na moeda local, no caso, libras. O banco cobra uma taxa, acho que em torno de R$5,00 por saque. Falo tudo isso porque resolvi trocar meus euros por libras no aeroporto de Londres, no Luton, e levei um calote feio. O cara, além de me roubar 50 euros, ainda cobrou 12% de comissão e uma taxa de câmbio ridícula. Perdi R$500,00 nessa brincadeira, mas… vivendo e aprendendo!!!

Como chegar lá

Se partir do Brasil, pode-se comprar bilhetes pela TAM (onde comprei, apesar disso, o voô era TAP) ou outras companhias. Os valores variam muito, dependerá se é alta ou baixa temporada (julho, agosto e setembro são alta temporada, portanto, são meses mais caros).

Dica: alguns cartões de crédito dão o seguro viagem caso você compre a passagem com seu cartão. Foi o meu caso…fiquei feliz da vida com a economia de R$300,00. Informe-se sobre o seu.
Aqui as informações do meu cartão: http://www.visa-platinum.com/por/benefits.aspx

Caso você já esteja na Europa, recomendo as companhias low cost ou trem. Voei inúmeras vezes de Easyjet e nunca tive problemas. Mas, nunca esqueça do lema deles: “If you are late, we don’t wait!
Enfim, não se atrase e chegue ao aeroporto com no mínimo umas 2 horas e meia de antecedência. As filas de check-in são imensas e eles não esperam por ninguém. Ah…o valor da passagem pode ser simplesmente MUITO CONVIDATIVA! As passagens variam de 10 euros a 60 – e é isso mesmo, 10 euros!! A diferença para nossas companhias? Eles não servem aqueles lanches medonhos que recebemos por aqui hehe Caso você queira comer ou beber algo, eles vendem a bordo por preços mais atraentes que os encontrados no próprio aeroporto. Numa das viagens eu não tinha tomado café e resolvi testar: café Starbucks e sanduiche quente. #delicia.

É tanta informação, né?! Cada hora lembro de uma coisa… Escrevi sobre a easyjet ontem e quase esqueci de algo muito importante: as malas! Na tarifa normal você só pode levar uma bagagem de mão, sem limite de peso, mas com medidas estipuladas. O que eles dizem (e seguem à risca):
“Os passageiros podem levar uma peça normal de bagagem de mão com um volume máximo de 56 x 45 x 25 cm (incluindo as rodas e as bolsas) (“Bagagem de Mão Normal”). Terá de caber, sem ser forçada, nos medidores existentes no check-in e nos portões de embarque. Não há restrição de peso, dentro de limites razoáveis – isto é, um passageiro deve poder colocar a peça de bagagem nos compartimentos do teto da cabine em segurança e sem assistência.”
Fonte: Easyjet

Eu recomendo que quando realizar a compra da passagens, já compre uma mala de porão também. Sai em torno de 12 euros e dá direito a 20kg de bagagem. Vale a pena, né!? Ser mochileiro sim, viajar com mochila pequena não (rs).

Nosso direito a quatro malas de porão e o aviso que o peso é compartilhado entre os quatro. Um pode levar 10 e o outro 30kg, por exemplo.

Outra coisa bem importante: os aeroportos de Londres são bem longe do centro da cidade, por isso é importante ir munido de informações de como chegar ao seu destino final. Mas, não se preocupe, os britânicos são organizados e informação e facilidade não faltam. No próprio site dos aeroportos há explicações de como ir e vir. Geralmente a melhor forma é pegar um táxi (para quem pode se dar este luxo) ou trem. Eu peguei o trem e saiu 14 libras por pessoa. A viagem dura uns 30 minutos e confesso, eu e todos que estavam comigo nos assustamos com a velocidade – parecia que tinha entrado no trem errado e que estava no trem bala, tamanha velocidade que ele andava…(será coisa de tupiniquim que não usa esse maravilhoso meio de transporte, o trem? #ficaadica)
Como fui para o Luton, aqui está o site e todas formas de transporte à disposição (coluna da esquerda): www.london-luton.co.uk

Nós, na estação St Pancras, depois da meia-noite: tudo fechado e nós lá, saltitantes de alegria e energia

Onde ficar

Sempre sugiro o site Hotéis.com, lá fiz todas as nossas reservas. Adoro! O processo de reserva é rápido, fácil e posso ver a nota e comentários de quem já se hospedou nos locais. Apesar disso, em Londres optei por ficar no Ibis, hotel de rede, conhecido no Brasil e com boa relação custo benefício. A localização do hotel era perfeita: em frente a umas das principais estações de trem e metrô de Londres, a Euston Station. Também fica a 5 minutos de caminhada da St Pancras, outra importante estação, de onde parte o Eurostar (Londres-Paris em 2 horas). Sem contar que tem um bom café da manhã, com direito a feijão, bacon e salsichão hehehe Sim, os ingleses comem isso em seu desjejum…
Super recomendo nosso hotel para quem quer praticidade e não liga de se hospedar sem luxo, porém com conforto e com quartos limpos. Defeito? Não tem frigobar no quarto e a internet não é free.
Nosso hotel: Ibis London Euston St Pancras

E, na calçada do hotel, bicicletas para alugar 🙂

Aliás, a questão do hotel não ter free Wi-Fi merece uma nota especial:
Quase nenhum hotel que fiquei tinha free Wi-Fi. Aliás, quase nenhum local que se vá na Europa tem free Wi-Fi. Enfim… não gostei disso. Me privou de enviar instagram aos amigos 😛 #wi-fifail
Acho que no Brasil a situação é melhor nesse sentido.

Clima

Fui no verão e mesmo assim não é quente em Londres. Durante o dia dá para usar manga curta, mas à noite: salve a rainha, ops… o cardigan! Isso que o cara do hotel falou que aqueles dias estavam “quite warm”…. Então no inverno, vá preparado e no verão, não esqueça da rainha…
Outra coisa, no verão anoitece lá pelas 23h, mas tudo fecha cedo. E agora descobri o motivo: nas outras épocas chega a amanhecer mais ou menos às 9h da manhã e anoitecer às 4h…Dias bem curtinhos, hein! Anoitece e o pessoal quer ir logo pra casa …rsrs

Transporte

Mind the gap!!! Frase típica de Londres…quem foi, lembra; quem nunca foi, quando for, vai lembrar!
O transporte de Londres me surpreendeu. É inacreditável o numero de linhas, estações, organização e facilidade. Nota 10!! Salvo por um detalhe: Londres e seus metrôs em geral pecam na limpeza. Há muita sujeira no chão e a razão disso sei dizer sem pestanejar: quase não há lixeiras. Em alguns locais você precisa caminhar bastante para encontrar uma. Vai entender….
Quanto aos bilhetes: não use bilhete individual, sempre será mais caro – a não ser que você só fará uma viagem no dia mesmo. O que utilizei, achei fácil e pra mim é o ideal: Travelcard. Você pode comprar para 1 dia ou para 7 dias, em meu caso utilizamos os bilhetes para 1. A compra é feita nas máquinas nas próprias estações. Custa 6,2 libras e você anda o quanto quiser de metrô ou de ônibus durante o dia. Vale muito a pena, pois tem dias que você pega metrô muitas vezes…

Curiosidades sobre o metrô

Conhecido como Underground ou simplesmente Tube, o metrô de Londres é considerado o maior e mais antigo sistema de metrô do mundo! Apesar de parecer que metrô é sempre subterrâneo, 55% do metrô londrino é de superfície. Entrou em operação em 1863, tem 268 estações e quase 400km de trilhos. Tem uma média de 2,67 milhões de usuários por dia e a estação mais utlizada do sistema é a King’s Cross St Pancras (duas quadras do hotel que fiquei). Além disso, o mapa metropolitano de Londres é considerado um marco do design clássico e do próprio metrô.
Inacreditável tudo isso, não é??
Fonte Wikipédia

Estação Baker Street …. é a do Sherlock Holmes 😉

Fotos e Textos: Vanessa Thiesen (@vanessathiesen)

Conheça a Vanessa Thiesen

Vanessa Thiesen escreveu 32 posts para o TRAVEL FOREVER.

Colaboradora do blog, tem paixão por tudo que se relaciona a viagens: adora o antes, o durante e o depois de todas elas. Sua perdição é perder-se pelas cidades que está descobrindo. Contato: vanessa@travelforever.com.br

Veja também:

Tags: , , , ,

21 Responses

  1. Érika Marques 3 de setembro de 2011 às 13:03

    Vanessa, adorei o post… Está bem explicadinho!!!! Ainda irei conhecer Londres,e suas dicas serão essenciais…. Não demore para postar toooooooooooooooooooda viagem!
    Estarei acompanhando!

    Beijos!!

    Responder
    • Vanessa 4 de setembro de 2011 às 19:54

      Oi Érika! Que bom que vc gostou… eu tentei colocar tudo que eu gostaria de saber antes de ir… Depois vai ter outro post com os lugares que visitei. Retorne aqui para dar uma olhadinha, ok?! E quando for…. Mind the gap!!!! Bjos!

      Responder
  2. Virginia Lucia 19 de dezembro de 2011 às 23:57

    Engraçado, já fui duas vezes a Paris e nunca estive em Londres, mesmo sendo basicamente ao lado. Preciso ir urgentemente. Tenho amigos que estão indo agora dia 25, passei o link do seu post pra eles. Muito bom, Carol! Beijos.

    Responder
  3. Andressa 30 de abril de 2012 às 0:46

    Querida Vanessa,

    Saudades dos nossos papos…

    Li tudinho que vc escreveu sobre Londres. Partiremos para lá amanhã e ficaremos por 5 dias. Depois seguiremos à Espanha.

    Na volta te conto como foi…hehe

    Beijos boa viagem para vc tb!

    Andressa

    Responder
  4. Andressa 25 de maio de 2012 às 0:07

    Vanessa,

    Eu AMEI Londres, poderia passar muito tempo lá, quem sabe morar um dia, não fosse o frio.

    Suas dicas foram super úteis, muito obrigada por compartilhar.

    Acho que essa é a finalidade que nós, blogueiras, tentamos atingir: a de dividir conhecimento e facilitar a vida de quem viaja, não é?

    Estou deveras curiosa para saber como foi a ida até a Cidade que Nunca Dorme…

    Beijos,
    Andressa

    Responder
  5. Karine 15 de maio de 2013 às 18:16

    Vanessa!! Que maravilha de texto. Estou anotando tudo! Vou passar 10 dias em Londres, em setembro, acho que vai dar para visitar alguns lugares… Quem sabe não dou uma passadinha novamente em Paris também!!! Bjos

    Responder
  6. Paula 24 de maio de 2013 às 21:07

    Vanessa, amei o site! Parabéns! Estou planejando minha viagem para 2014, por enquanto como recentemente terminei um relacionamento, penso em ir sozinha…vc acha que será ruim? Vi que já foi sozinha, poderia me dar dicas como é? te fez bem?:|

    Responder
    • Vanessa Thiesen 5 de junho de 2013 às 23:09

      Paula, eu adorei viajar sozinha! REcomendo! Claro, há pessoas que não tem esse perfil, que nem cogitam a idéia. Mas acredito que não seja o seu caso. Quanfo fui, estava em recuperação de um relacionamento também (acontece….) e foi ótimo! No que quiseres dicas, pode falar! E vá…. o máximo que pode acontecer, é nas próximas vc não repetir a dose. Sempre será válido…. 🙂

      Responder
  7. Johnnie Lustoza 19 de fevereiro de 2014 às 14:03

    Londres é a cidade dos pubs, cada um mais interessante que o outro, porém, em termos de pubs, se for pra escolher eu prefiro Dublin, já que pubs irlandeses são bem mais divertidos que os ingleses, na minha opinião, claro. Parabéns pelo blog e pelas informações de primeira. Abraços

    Responder

Leave a Reply

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>