Descobrindo os Keys: 1ª parte – A viagem até o extremo sul da Flórida.

Posted by & filed under AMÉRICA DO NORTE, ESTADOS UNIDOS, Flórida, Key West.

key_15

Prometi a mim mesma que iria terminar de escrever sobre a viagem ás Américas antes de inventar outra. O problema é que ta difícil arranjar tempo, estou trabalhando muito e claro que o blog vai ficando ficando… Mas juro que lembro dele todos os dias e nessas de olhar, verificar e visitar outros blogs a gente já começa a sonhar com uma próxima viagem. Como tudo tem seu tempo e prometido é prometido, vou terminar de relatar sobre os Keys e só depois irei contar qual é o próximo destino (se até lá eu decidir ele)!

Da 1ª vez (2000) que estive em Key West o tempo foi muito curto e não deu pra aproveitar direito o que a cidade tinha pra oferecer. Desta vez queríamos fazer diferente.  A intenção era, além de aproveitar Key West, curtir ao máximo o caminho dos Keys, e foi exatamente o que tentamos fazer: pegamos o carro, enchemos o tanque com gasolina da mais barata e fomos… indo e indo. Para sair de Miami de carro foi só pegar a Overseas Highway (sentido sul da rodovia federal norte-americana 1) e em menos de 25 minutos estávamos em Homestead Florida City, na verdade não dá pra saber quando você já deixou a cidade ou não, parecem todas grudadinhas. Em um piscar de olhos entramos no Everglades National Park e logo logo as placas começaram a indicar John Pennekamp Coral Reef State Park. Opa, sinal que estávamos passando por Key Largo. Daí por diante a paisagem começou a mudar, o estilo urbano foi ficando pra trás e a estrada parecia flutuar sobre a água azul turmalina do mar.


Abastecendo o carro em Miami…


A cor da água se confunde com a cor da areia.


Pausa para Momento Key Kodak!

O caminho de 181 km leva em torno de 4 horas para ser feito, mas vale a pena ir com calma, parando para ver a paisagem, as aves marinhas e para visitar as muitas surpresas, parques, museus e outras atrações espalhadas ao longo do caminho. A esquerda de quem vai, está o oceano Atlântico, e à direita, a baía da Flórida e o golfo do México. São 42 pontes ao todo… minha sogra bem que tentou contar uma por uma, mas no meio de tanta coisa pra ver, esquecia da pontes (rs). O dia estava lindo, tudo prometia que nossa viagem seria inesquecível. Apesar de ser inverno esta época do ano (dez/jan), todos os dias que havíamos passado em Miami tinham sido absurdamente quentes. E nada melhor que ficasse assim para aproveitar os Keys.

Mortos de fome, paramos em Islamorada e comemos em um local chamado Wahoo’S Bar & Grill. A comida simplesmente deliciosa, o restaurante possui vista para o mar e está em anexo à marina. Islamorada é considerada quartel-general dos pescadores americanos e os barcos fazem parte do cenário, é impossível não notá-los. Como já estava ficando tarde, resolvemos parar para dormir em Marathon e nos hospedamos no Pelican Motel (U$ 110,00 o quarto quádruplo). O mais curioso é que a maioria dos motéis possui estacionamento para trailers nos fundos, e geralmente essa época do ano todos os Trailers Parks estão lotados.


Islamorada


Marina anexa ao restaurante.


Em todo local se encontra Jets para locar.


Todo mundo aproveita.


Restaurante Wahoo’S em Islamorada.


Salada de espinafre com camarão e nozes, yummi!


Catch of the day…


Sogrinha e Cunha entre os milhares de barcos…


Pelican Motel, ao entardecer em Marathon.

Acordamos no outro dia e para nossa surpresa o clima tinha virado e o que era ensolarado e quente, ficou frio, nublado e ventoso. O tempo mudou de uma forma que ficamos todos decepcionados e temendo um furacão já que os Keys têm seus momentos infernais também. A temperatura estava aproximadamente 10°C e o vento muito, mas muito forte. Mas isso não impediu de seguirmos em frente. Só faltava metade do caminho e esta parte tende a passar mais rápido ainda, pois parece que a faixa de terra vai estreitando a medida que você desce os caios. Entre um pedacinho de terra e outros estão às famosas pontes da Overseas Highway e uma delas merece destaque: A Seven Miles Bridge (cerca de 11 km de ponte), obra impressionante da engenharia.


É ponte que não acaba mais… cerca de 11 km sobre a água!


A viagem seguiu por Bahia Honda, Big Pine e pelas Lower Keys, também chamadas de “as Keys naturais”, conhecidas pela fauna, flora e pelo recife de Looe Key, considerado um dos melhores lugares do mundo para mergulhar. Outra opção é o parque estadual de Bahia Honda, com lugar para camping, piqueniques e esportes aquáticos. Deixamos o mergulho para ser feito no retorno, já que nem o tempo nem o mar estavam convidativos a ele. Por fim, chegamos a Key West felizes, ansiosos e gelados. E qual foi a 1ª coisa que fizemos lá? … Shopping (rs) … Mas dessa vez TEVE um motivo especial: o FRIO. Ninguém estava preparado, e nessas alturas da viagem é melhor aproveitar uma Key West com conforto do que gelados e mal humorados.


Bahia Honda Channel

Charmoso e simpático Pelicano.

Conheça a Carol Wieser

Carol Wieser escreveu 165 posts para o TRAVEL FOREVER.

Criadora e editora do blog, adora colocar os pés na estrada! Está sempre planejando uma nova viagem. Sua Bucket List é enorme (e azul), dificilmente irá conhecer todos os destinos que deseja, mas continua esperançosa!

Veja também:

Tags: , , , , , ,

12 Responses

  1. Breno B 27 de abril de 2008 às 16:53

    Carol,

    Lindo blog! Estou indo pra Miami em maio e seu blog me deu algumas boas idéias.

    Se tiver alguma coisa a mais me avise! Ficarei 4 dias por lá e quero aproveitar cada segundo!

    Bjos,

    Breno B.

    Responder
  2. Margarida 28 de abril de 2008 às 15:49

    Carol

    Gosto de todas as suas fotos,mas as da comidinha então…são demais!!!
    Estou a começar a pensar que é melhor guardar a minha viagem a Miami quando tiver um pouco mais de tempo,para poder conhecer todos esses os lugares lindos que fala no post.No fim do ano só temos 8 dias de férias e só para a viagem são 2 dias…não temos avião directo daqui de Portugal para Miami!!
    Espero que um dos seus próximos destinos seja a Europa,com Portugal incluído para nos podermos encontrar!
    As praias de Santa Catarina já estão há muito tempo na minha listinha e por isso pode esperar que algum dia nós vamos aparecer por aí!!

    beijinhos

    Responder
  3. Carol Wieser | Trave 2 de maio de 2008 às 6:17

    Breno: Logo postarei o restante da viagem, daí eu te aviso. Valeu pela visita.
    😛

    Margarida: Hum, 2 dias realmente é pouco tempo para aproveitar tudo que os Keys têm a oferecer, o ideal seria no mínimo 3 dias…
    Sobre as comidinhas… ai, ai, não sei como não engordo + nas viagens pois o que eu como não é brincadeira não… afinal, estar de férias, com um montão de coisa boa pra experimentar temos mais é que aproveitar não acha?? Os quilinhos extras deixo pra queimar na volta… (hehehe)
    😳

    Camila: A cor da água nos keys é de impressionar mesmo. é um azul diferente, turmalino e turvo… mas deixa a paisagem com esse visual 😎

    Responder
  4. Carol Wieser | Trave 28 de maio de 2008 às 19:34

    Oi Eliane!!

    Tem sim como ir de ônibus, quem leva é a empresa Greyhound que tem 3 saídas diárias do centro de Miami e do aeroporto para os Keys. O site deles é http://www.greyhound.com, lá você consegue achar o itinerário certinho.

    No aeroporto de Miami existe outros serviços de tours diários para os Keys, uma espécie de bate e volta em vans que pode ser bem interessante dependendo do tipo de viagem que você pretende fazer. Custa em média U$ 80 para 2 pessoas, mas você tem que reservar com 1 dia de antecedência.
    Dê uma olhadinha neste site: http://www.floridakeysshuttle.com

    Espero já ter ajudado.
    Abraços e Boa Viagem!
    😉

    Responder
  5. Christiane Loeser 3 de janeiro de 2010 às 11:38

    Oi, Carol estou adorando as fotos e a sua descrição da viagem, já estou de passagem comprada para Miami em Março 2010 e tenho 3 ou 4 dias livres que queria passar conhecendo a regiaõ de Key West, vc pode indicar algum lugar que ofereça mergulhos com cilindro. Pelo que vc falou em Looe Key encontrarei um dos melhores locais do mundo para mergulhar, certo?

    Responder
    • Carol Wieser 15 de janeiro de 2010 às 18:48

      Christiane,

      Xiii… Nessa viagem pra Key West a gente deu azar. A nossa intenção era mergulhar… mas…… infelizmente o tempo virou, ficou tão frio que (apesar de amar mergulhar), deixamos pra próxima. Então dessa vez vou ficar te devendo as dicas dos mergulhos pois não rolou. Mas pelo que pesquisei antes de ir, tem muitos lugares bons de mergulhos nos caios.

      Abs,

      Responder
  6. Fabiana 15 de novembro de 2010 às 14:01

    Oi Carol!

    Acabo de voltar de Miami e estive em Key West seguindo suas dicas. Todas validadíssimas, viu! Comi no Wahoo's e adorei. O atendimento, a comida, o ambiente… Valeu! Adorei o peixe Mahi Mahi, muito comum em todos os menus locais. Jantei no Benihana, uma restaurante com uma proposta super diferente (pelo menos para mim rsrsr). Eles preparam a comida na mesa, em uma chapa quente que toma cerca de 70% da mesa e as pessoas ficam em volta. Divide-se a mesa com outros clientes e todos provam um pouquinho do que está sendo prepardo para o outro. Acessei o site do restaurante depois e vi que eles possuem várias unidades pelos EUA e Caribe.

    Como não mergulho como vocês, optei por um passeio de jet em torno da ilha com diferentes pontos para snorkeling. Amei! Por sorte o tempo estava bom e quentinho. Vento e temperaturas mais amenas só à noite.

    Em Miami também estive no Nexxt. Gostei da comda e do lugar. O ambiente descontraido perto da calçada, gente passando… lembrou muito alguns lugares no Rio.

    Um beijo grande pra você e Martina.

    Responder
    • Carol Wieser 15 de novembro de 2010 às 14:24

      Oi Fabi!!
      Que bom que as dicas foram válidas! Fico feliz em saber que contribuí um pouquinho para suas ferias ficarem supimpa. Os restaurantes que conheceste são bons mesmo, amei a dica desse novo, vou incluir no roteiro na minha próxima viagem aos keys.
      #saudades

      Beijos

      Responder
  7. Julia Maria 6 de fevereiro de 2015 às 23:50

    Olá Carol! Estarei indo para Key West em abril, e adoraria saber se para mergulhar lá ou em big pine e lower tenho que pegar barco, ou consigo sair da praia mergulhando??
    Pq tenho equipamento!!
    Obrigada

    Responder

Leave a Reply

XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>